Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Alcoolismo’


Impressões…..
De cabeça fria, após a saída decepcionante de Adriano do Flamengo, agora escrevo o que sinto.
Como pode um jogador tão talentoso ser ao mesmo tempo, lua cheia e minguante?
Como pode um atleta dotado de um temido chute de perna esquerda tropeçar nas suas próprias?
Enfim, seria ele vítima da falta de sorte? Ou do controlar instintos? Prefiro a segunda opção. Adriano é assim. Instintivo e impulsivo, nem que isso o leve aos poucos para a beira o abismo. O que diga-se de passagem, agora ao que parece, é de vez.
A recuperação do atleta passa pela recuperação do amor próprio e do poder do querer. Se o Imperador acha que o significado de amor próprio seja estar entre os teus na favela, ou de beber com os “amigos”, quem sou eu para julgar. Ele, com seus problemas de pobre-menino rico, sim ele tem os seus demônios para afastar, vive nessa dicotomia de achar que pode tudo e que nada terá reflexos. Isso no mundo dos adultos é fatal. Adriano é uma criança genial, com os dons concedidos por Deus. Que o mundo reverenciou, chamando-o de Imperador.

Mas chega uma hora que não dá mais. Não dá para seguir sendo a sua própria fraude. Fraude como jogador, isso nunca! Mas sim como atleta profissional, que deve seguir a sua carreira com cumprimento imperativo de deveres.
Ninguém pode julgar Adriano! E tão pouco cometer tamanha covardia. Ele sim, dotado de uma auto-crítica (a dele, na minha opinião é parcial), poderá analisar o que fez. Jogou fora uma carreira meteórica no sucesso e deprimente no ocaso.
Imagem
Família, companhias, mulheres, talvez esses sejam os problemas. Mas e a própria pessoa?
Exemplos não nos faltam quando talentos perdem para os descaminhos da vida. Garrincha, Almir Pernambuquinho, Elis Regina, Cazuza, Sócrates, são exemplos de vidas que foram sensivelmente atormentadas pelos seus próprios fantasmas. Uns se foram no auge, outros sofreram os reveses das suas escolhas.
Fico triste ao ver tanto talento ser jogado fora. Penso em Adriano como um gênio louco. Um Dali do futebol. Que pintou os quadros da vida com cores ora alegres, ora sombrias.
Adriano não é passível de julgamento. É passível de analise. Fiquem cada um com a sua. E ao exteriorizar, pensem no ser humano. E não carrascos de uma vida que só ouviram falar via notícias, mas nunca in loco.
Obrigado Imperador. Pelos 19 gols em 2009. Calando a boca de muito recalcado. Porque favelado, craque e sendo campeão pelo Flamengo, para uma grande e preconceituosa parcela da população, é uma coisa difícil de aturar.
Se quiser, chamem-o de cachaçeiro, cometerão o mais vil dos crimes, o do julgamento preconceituoso. Ou mais dolosamente ainda, de marginal. Isso aí eu concordo. Porque ele sempre viveu à margem. De família pobre, perdeu o pai cedo e virou arrimo de família.
E tem gente que enche a cara todo dia e covardemente julga.
Errou sim. Não levou o seu contrato como deveria um profissional. Punido exemplarmente deveria. Mas preferiu sair. Talvez sabendo dentro de si que não dava mais, pelo menos por enquanto.
Quem sabe teremos em 2013 uma fênix?
Nunca duvide do poder do ser humano. Em especial se ele já tiver sido coroado Imperador da maior nação futebolística do mundo. A República Federativa do Flamengo.
Boa sorte Adriano. Seja feliz !!
Daqui mando, baianamente, o meu axé !!!

Read Full Post »