Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘brasil’


Caros amigos deste Blog e meus parceiros. Recebi este e-mail de um amigo meu e achei-o maravilhoso. Nele vocês verão que respirar a Bahia é respirar o Brasil. Temos nossos defeitos e virtudes. Isso sabemos de cor. Eis o artigo.

 

Me chamo Elilson Cabral, sou de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Capão da Canoa, e estava cansado em ouvir falar dos baianos e de sua “Vasta Cultura”.    Não suportava mais ouvir nos veículos de comunicação o quanto a Bahia era perfeita, suas praias paradisíacas, seus artistas infindos, cansei de ouvir:  Baiano não nasce, estréia. 

Olhava pro rosto do povo Rio Grandense e via neles tanto ou mais “cultura” que nos baianos, a Bocha, a Milonga, a Guarânia, o chimarrão e não só as danças, ritmos ou indumentárias, mas toado sentimento que exalava do nosso cotidiano.   “Cultura”, isso nós tínhamos, e tínhamos mais e melhor, afinal o que o mundo via na Bahia que não via em nós?

Resolvi então descobri o que é que a Bahia tem. Tirei dois anos da minha vida para conhecer a Bahia e toda sua “Cultura”, para poder mostrar pra o Brasil que existimos e que somos tão bons quantos qualquer outro brasileiro.

No dia 03 de Outubro de 1999 desembarquei no aeroporto Luiz Eduardo Magalhães, e logo de cara ao contrario de baianas com suas roupas pomposas e suas barracas de acarajé, dei de cara com um taxista mal humorado porque tinham lhe roubado o aparelho celular, começava então minha árdua luta pra provar que baiano como qualquer outro brasileiro nascia de um ventre e não de traz das cortinas.

Alguns quilômetros à frente já estava tentando arrancar do taxista as informações que pudessem servir de base para minhas teorias, afinal eu precisava preencher uma serie de lacunas sobre os baianos e suas “baianíces”.   
Seu Ivo, era como se chamava o simpático taxista falava sem parar, com uma voz de ritmo pausado e sem pressa para me explicar, ia ele contando-me toda historia de salvador e sua política:
– Ah!  Essa política é uma “fuleiragem”, é sempre eles nos roubando e agente votando nos mesmo sacanas que nos roubam.

Me chamou a atenção como ele não media palavras para definir os seus governantes.    Mas até então nada na Bahia me encantara, nada de magia, nada de beleza.   Chegando no hotel onde ficaria durante esse período fui então programar minhas estratégias e resolvi logo ir ao local mais badalado da Bahia, O pelourinho.   Chegando no bairro mais uma vez nada de surpresa, casas antigas, pessoas e cabelos, trançados, espichados, alisados, pintados, enfim, coisas da Bahia.  

 

Sabor em forma de Bahia

 

Senti um cheiro muito forte de dendê (ao menos eu achava que era dendê), nunca sentira aroma igual. Então avistei numa varanda pequena uma senhora e duas crianças que brincavam de aprender a fazer acarajé, parei e fiquei olhando tentando colher informações para meu “dossiê”.

Entra seu moço!
Foi o que logo ouvi, meio sem jeito fui logo pra perto do fogão, o cheiro era cada vez mais forte e envolvente.
– O senhor quer uma?
– Claro!

Ia perder a oportunidade de comer a iguaria baiana mais famosa e poder dar meu parecer a respeito?  Jamais.   Dei a primeira mordida e me senti como se tivesse numa fornalha, aquilo queimava, ardia e pasmem era muito gostoso, tentava parar de comer, mas quanto mais tentava mais me lambuzada com aquele recheio que eles chamavam de VATAPÁ.  Delicioso!
Enfim a Bahia tem algo de bom, mas é isso que encanta na Bahia?  Bem vou encurtar minha historia para que vocês leitores dessa revista não fiquem entediados.
Passei dois anos viajando por toda Bahia, suas praias paradisíacas, ouvindo e vendo seus artistas, e saboreando de sua cultura e consegui chegar a um denominador comum, consegui alcançar o tanto procurava.   Enfim os baianos não são melhores que nós Gaúchos, na realidade somos até mais civilizados que eles, porém, uma coisa nesses dois anos me chamou a atenção, vou dizer-lhes qual foi.  

Ao voltar para minha linda cidade no interior do Rio Grande do Sul, me senti como se estivesse pousado no meu planeta, e logo escrevi um artigo pra uma revista falando da minha “descoberta” e depois de publicada fiquei de bem comigo mesmo e com minha terra, agora sim estou leve.
Agora sim?
Ainda não!
Passei os meus dias tentando entender porque sentia tanta falta da Bahia, porque sentia falta de meu vizinho Dorgival, do rapaz que passava vendendo sacolé, do João da barraca de água de coco, meu Deus porque esse vazio?   Foi então que descobri o que é que a Bahia tem. 

 

Identidade Baiana, todos dentro de um só.

 

Sem pretensão de ofender os meus, digo-lhes que, jamais verei nos sorrisos gaúchos a beleza da sinceridade baiana, jamais sentirei nas percussões de cá o pulsar dos meninos negros de pés descalços que “oloduavam” sem ter medo da dureza futura, jamais terei no abraço de meus parentes, o calor que sentia ao ser abraçado pela vendedora de cocada de araçá que toda tardinha teimava em insistir pra que eu comprasse mais uma, jamais sentirei nos territórios daqui o cheiro de dendê, puxa o dendê que nem mesmo sabia o seu cheiro e o reconheci assim, de pronto, queridos conterrâneos, na nação de lá eles andam descalços mesmo os adultos e não é por não terem calçados, eles gostam de viver assim, a chuva não é apenas suprimento e fartura, é diversão, quantas vezes corri pela chuva com o André, filho de Dona Zete, seguindo o caminho que ela fazia no meio da calçada.

Amigos, naquela nação os cabelos são como roupas, as roupas são como armas e as armas são os instrumentos, que levam uma multidão para uma batalha que dura 7 dias e que sempre acaba em vitória para ambos os lados, uma cabaça é motivo de festa, um fio de arame motivo pra luta (de capoeira), dois homens juntos é motivo pra samba, pagode, e festa.

 E pasmem queridos patrícios, eles trabalham, e muito, no tabuleiro de cocada, na frente de um volante, com uma baqueta nas mãos, trabalham sim. Não quero ser baiano! Sou gaúcho! Sou brasileiro! Mas nunca imaginei que conheceria um Brasil que jamais pensei achar exatamente na Bahia, exatamente lá, do outro lado, na outra nação..

Não quero me separar deles, não quero perder o direito de dizer que sou brasileiro e que tenho a Bahia como pedaço de mim. Não quero ser baiano, mas mesmo assim não consigo não ser.
Jamais saberia que seria necessário ir a Bahia para conhecer o Brasil.
 
Elilson Nunes Cabral Filho
Jornalista
Março de 2002

Anúncios

Read Full Post »


Amigos do Blog e meus amores

Atualmente o que vejo em nossa sociedade é um festival de intenções das mais bonitas, mas infelizmente, o que realmente conta é qual máscara aquela bendita pessoa estará usando.

Artificio mais usado pelos politícos, a promessa sofista é uma das máscaras que corroem sonhos e desiludem as pessoas que ainda acreditam numa sociedade que norteie a igualdade de oportunidades. Não dá mais ouvir aquele festival de promessas e ficar sentado achando que tudo irá cair do céu.

Temos que tirar a nossa própria máscara, a da prostação social. Temos a obrigação de fazer a parte que nos cabe nesta situação. Arregaçar as mangas é nosso dever e a vigilancia é nosso direito. Mas para isto acontecer teremos que estar em um estado democrático de direito, com as mesmas responsabilidades para todos. Não aguento mais ver os mesmos se safando de tudo e com aquele velho respaldo, o vil e canalha.

Pois o fato na realidade é bem outro. Leis são impostas para muitos e pouco respeitadas pela corja dominante social, os ricos. A máscara sempre será mudada por eles, usam e as resusam, dependendo do perigo e da situação. Isso no cotidiano é mais do que normal, poderão dizer muitos.

Mas o realmente quero é que não exista mais !!!!

A educação não pode ser usada como máscara social e nem o combate a fome. Não deveriam em uma sociedade realmente compromissada com o todo serem armas políticas. Hoje em meu governo, o que vejo é a exploração da miséria com uma vontade única, mas a errada. A certa deveria ser uma analise profunda e um discussão sobre o assunto de forma democrática.

Chega de exploração das miserias alheias !! Chega de máscaras para chegar onde queremos.

Beijo no coração !!! Ótima quinta-feira !! 

Read Full Post »


Amores e amigos deste Blogão

Se realmente este país fosse sério…….

O Esporte seria encarado como uma diretriz de inclusão social e não para desvio de verbas.

Cargo do Legislativo não seria remunerado ou na pior das hipóteses um salário simbólico.

Licitações não seriam superfaturadas e nem fraudadas.

Orçamentos seriam cumpridos no prazo e com os valores já orçados (Ex: PAN do Rio e possivelmente a Copa de 2014).

Filas seriam respeitadas e com a prioridade para gestantes, deficientes e idosos.

O sálario mínimo daria o mínimo de condições de vida.

Hospitais teriam um atendimento mais humano e realmente incisivo.

Todos teriam direito a moradia com luz e saneamento básico, um trabalho que respeitasse o direito dos trabalhadores.

Mães teriam o sossego de ter seus filhos em creches preparadas para recebê-los.

Professores teriam que ter um salário equivalente com a importância social na qual o cargo representa.

Crianças não dormiriam nas ruas, teriam uma Educação em tempo integral de qualidade e com noção de direitos e deveres.

Iria haver uma punição exemplar com quem rouba dinheiro público e também como sua exclusão eterna da vida pública.

Se existisse uma suspeita de desvio de verbas ou mã administração, um gestor público seria afastado de suas funções pelo tempo da investigação.

Enfim…… Você caro leitor ou leitora teria algo a acrescentar nesta listinha ??

Boa terça à todos !!!

Read Full Post »


PALESTRAS NO PÓS-AFRO:

Violas D’Angola: sobre viagens, imagens e miragens de música

africana no Brasil dos oitocentos”


Prof. Dr. Salomão Jovino da Silva (Salloma) – PUC/SP

Data: 27 de novembo de 2008

Local: Auditório Milton Santos/CEAO – 18:30


Como entender a crise do Congo/Kinshasa fora dos paradigmas habituais”

Prof. Dr. Jacques Depelchin

Data: 28 de novembo de 2008

Local: Auditório Milton Santos/CEAO – 18:00


Read Full Post »


011465621-ex00

Meus irmãos e irmãs

Várias coisas atulamente tiram meu sono e deveriam tirar o seu também caro(a) leitor(a). Além da roubalheira que assola nosso país, a violência social e cultural, a saúde pública num bagaço de dar dó. Me deparo com a notícia que os parlamentares não querem que a lei que proíbe a nomeação de parentes de até 3o grau seja realmente efetivada. Já existem manobras em pleno curso para a extinção de tal lei. Lei essa que é de extrema premência e necessidade. Pois cargo público é para ser lotado com concurso público, e não com aquele festival de “canetadas” que nós vemos atualmente.

A lisura de um processo seja ele qual for e, a nomeação à um cargo público é uma delas, deve ser de forma democrática e não com a perpetuação de favores com a chamada “nomeação cruzada” que parentes de funcionários públicos entram em gabinetes de colegas e vice-versa. O concurso deve ser a única forma de acesso à carreira pública, baseada na competência técnica de cada um e não por dar a sorte de ser parente de funcionário e nem o famoso “QI”, pois quem lota tais cargos deveria ter a noção da importância dos mesmos e não colocar parasitas inoperantes para que nós pagarmos com nosso já injusto imposto.

brasil

Não quero pagar imposto para ver meu dinheiro indo para as mãos de gente que não sabe fazer um O com o fundo do copo. Quero que meu suado dinheiro seja justificado, com pessoas aptas e que tenham a verdadeira noção do que é servir ao cidadão que é de fato seu patrão, sua patroa. Mas para isso, teremos que ter uma EDUCAÇÃO PÚBLICA decente pois afinal de contas quero que todos tenham igualdade de condições quando na ocasião de um concurso.

O lema positivista da nossa bandeira, do nosso pavilhão nunca esteve tão errado. Aliás ele nunca esteve correto, pois de ORDEM E PROGRESSO não temos nada, e pelo jeito que o governo atua, não teremos tão cedo. Com Brasília instalada no caos e no egoísmo sistemático poderiamos ter na nossa bandeira o seguinte lema: DESORDEM E REGRESSO. Lá na capital nacional, ninguém se entende, numa bagunça provinciana e também pela falta de compromisso não conseguimos aprovar emendas, projetos de lei, que poderiam melhorar e muito as nossas vidas. Sabe porque não são aprovadas ?? Porque precisam de contra-partida, o velho jogo de interesses políticos.

Será que as coisas mudam ??? Espero realmente que sim….. continuarei escrevendo….. até ver significativos sinais de melhora.

Beijo no coração de todos !!! Boa Quarta !!

Read Full Post »


Amigos

Assistindo esta semana uma palestra na minha Faculdade ministrada pelo Prof. Derval Gramacho com o tema: “Os índios sobre o olhar dos índios” pude constatar algumas coisas e confirmar outras tantas.

Porque em hipótese nenhuma os verdadeiros representantes de nossa terra, recebem um tratamento digno de seres humanos ?? Será que as políticas públicas encaram isso como um favor social ?? Ou será que nós “brancos” vemos os índios hoje como vagabundos assistenciais ??

Não se cabe hoje em dia o tratamento destinado à eles, pois além de não ser respeitado o direito a muita coisa que teoricamente teriam, são extirpados de suas casas e terras de um jeito mais do que animal, o que é inadmissível. Para sobreviver muitos se juntam ao garimpo e se tornam verdadeiros escravos de pessoas que não dão a verdadeira importância à aquelas pessoas.

Vale a pena lembrar aos esquecidos por conveniência que os índios e índias brasileiros foram quase que exterminados pela colonização portuguesa, ou então levados para Portugal como atrações circences, para intreter os imbecis que nem sabiam com quem estavam lidando e tão menos a história rica de tradições e costumes. Hoje infelizmente muito dos dialetos falados tempo atrás hoje com a inconsequente necessidade que os índios falem o Português, estão fazendo com que os índios perdessem muitas das línguas que hoje se encontram esquecidas, lamentavelmente.

Não e nunca tratamos os índios com o devido respeito, estamos longe de se fazer justiça com o que fizemos deliberadamente, pilhamos uma cultura vastíssima em prol de alguma coisa superficial. Portugal queimou alguns e nós num cenário de barbárie queimamos o índio Galdino, alguém se lembra ??? Ou já esqueceram, como sempre é conveniente nos casos de culpabilidade histórica.

Hoje o cenário é de abandono sistemático, os poucos programas que tratam o índio como ser humano são poucos. Muito poucos. Os orgãos públicos pouco fazem jus a verba que recebem, pois até casos de violência em dependências de instituições federais tivemos notícia.

Mas graças a Deus temos coisa séria se fazendo hoje. Quer um bom exemplo ??

www.indiosonline.org.br

Bom sábado !!! Beijo no coração de vocês !! Obrigado sempre pela parceria.

Read Full Post »


Caros amigos, meus parceiros.

Ontem fora decidido em várias cidades o segundo turno, com novos prefeitos sendo reeleitos e outros entrando nas vagas dos concorrentes, e a pergunta que novamente fica no meu imaginário é: Será que esses representantes da coletividade irão agora olhar para a Educação como transformadora ?? Porque o cenário que impera aqui no Brasil são políticas ineficazes para este concerne que é de extrema urgência para todos nós.

A Educação é a solução deste país, pois com ela as políticas públicas irão fazer sentido, pois haverá uma sociedade toda ela no propósito de crescer, e ela terá autonômia de decisão, pois será instruída para tal. Formando assim uma sociedade que tenha o real poder indagatório, acabando assim com a velha sina, a de ser massa de manobra constante. Enxergando com os próprios olhos e se sentindo mais plenos e aptos. Quero com isto também alertar para com o fortalecimento das políticas públicas, acabar também de forma colateral com várias das mazelas que o nosso povo é exposto todo santo dia.

Com educação decente, não haveria nas ruas milhares de crianças, se transformando em delinquentes sociais, formando gangues, assaltando a população. Pois isso é um efeito dominó. Crianças sem estudo, dão margem a o que a sociedade dará à elas, e o que ela dará todos nós sabemos de cor, NADA. Então cria-se aí uma geração de pessoas revoltadas. Querendo tomar a força o que era para eles terem acesso pelo estudo e pelo trabalho. Mas como animais eles são tratados, como animais eles irão se comportar.

É ou não é ?? Façam uma reflexão !! Olhe pro seu cachorrinho de “madame” e veja como ele é bem tratado, e passe de carro por um viaduto ou por uma praça e veja as nossas crianças sendo sistematicamente abandonadas, sem sequer o direito de serem ouvidas. Numa cena de guerra, a guerra da exclusão.

Nossos políticos são realmente ignóbeis, pois à eles não importa se a educação esta realmente chegando na população, eles querem é a alienação sistemática do povo, pois só assim receberão baseados em propostas mirabolantes o voto cego de quem não encherga. Ou pior de quem não esta tendo a oportunidade de enxergar. Casos de excelência temos em nosso país, porque eles não são copiados e ajustados a necessidade do nosso povo. Quero que esssas “ilhas de prosperidade” se espalhem por todo nosso território, para que só assim a Educação seja transformadora e não alienadora como esta agora.

Vale a pena ressaltar que na minha opinião as crianças deveriam ter acesso a uma escola de tempo integral, chegando pela manhã cedo e só saindo à tardinha, lá com direito a duas refeições e com lanches no meio da manhã e da tarde. Dentro as crianças teriam aula normal pela manhã e depois a tarde elas teriam oficinas de estudo, noções de direito constitucional, cidadania, oficinas de teatro, dança, e algumas dependendo da idade dos estudantes, seriam profissionalizantes. Assim não se constituindo numa fábrica, mas sim num celeiro de cabeças pensantes. É assim que quero a Educação no meu país.

Sonho com o momento de que cada bairro desse nosso país terá duas ou três escolas desse molde, que as mães e pais possam ir aos seus trabalhos tranquilamente, e com isso formar um ambiente familiar sadio. Sabendo que seus filhos e filhas terão Educação com qualidade, e que serão tratados realmente como uma jóia precisosa, que é o futuro. Este futuro recebendo Educação com olhos voltados no futuro e não com pés presos no ranço e na passividade do passado.

Espero que todos meus leitores, colaboradores, parceiros difundam essa idéia de uma Educação mais voltada para a necessidade da sociedade. Conto com a colaboração de vocês. Escrevam !!! Botem para pensar muitas cabeças mais !!!

Beijo no coração de todos…… boa segunda…… início de semana….. de planos…… Educação já !!!

Read Full Post »

Older Posts »