Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Sociedade Brasileira’


O que seria cronicamente inviável? O que seria o viável em se tratando de Brasil? Perguntas como estas rondam o imaginário das pessoas quando o assunto é o coletivo, o social. Poucos são os que raciocinam acerca desta modalidade de dominação. Pois o que é viável, só serve como dominação. Especialmente se tratarmos de política, pois o viável é o mínimo e muitas das vezes não são nem cumpridas as promessas. Que dirá as que são cronicamente inviáveis. Soa como uma valsa sem par. A utopia e a realidade em caminhos distintos.

A falta de valores e como também a noção de realidade de várias pessoas colaboram para que haja uma disseminação do que seria prioridade geral ou o que seria controle de poder e alienação social. Pois só se aponta e combate os problemas de um país se realmente estivermos imbuídos de vontade para uma análise mais profunda.

Gerações se sucedem e nós continuamos a alimentar o “Instituto do Trambique” aproveitando as brechas do sistema. Faço um paralelo deste filme com o “Tropa de Elite 2” que assisti recentemente. Pois, as duas obras cinematográficas exploram a falividade do sistema. Um pela corrupção e outro pela famosa “Lei de Gérson”. Mal sabendo que de uma forma ou de outra tudo o que fazemos contra a sociedade, irá refletir contra nós mesmos.

O bairrismo para mim soa como uma falta de noção do que é a realidade e como somos como sociedade. A contribuição e a participação de um senso de “família Brasilis” se dá quando respeitamos e analisamos as diferenças. Pois é muito fácil chamar o nordestino de paraíba e generalizar as origens dos cidadãos. Ignorância é a aliada neste processo de segregação social no qual os imigrantes nordestinos sofrem nos grandes centros do sul e o preconceito é irmão do atraso e do caos social. Isso sim, seria no atual cenário social brasileiro cronicamente inviável.

Covardes e amorais são os que exploram a miséria e seus desdobramentos como forma de faturar mais dinheiro. Tráfico de crianças e órgãos ainda são nuances muito exploradas aqui no Brasil. A dignidade humana é posta a prova quando uma pessoa vende outra ou a retalha. Destruindo assim, infâncias e sonhos. Uma criança pobre e faminta tem direito a sonhar no nosso país?

A roda viva do contexto do que é viável, passa pela reflexão do que se pode fazer e o que deverá ser feito. O que não podemos aceitar são promessas de cumprimento das necessidades básicas e depois constatar que muito pouco é feito ou nada, em algumas situações.

Não adianta querermos estigmatizar o Brasil como uma sociedade falida e ausente de valores e moral. O que temos que fazer, é uma orientação do papel de cada um no contexto social. Para que só assim, deixarmos de ganhar à custa dos outros. Perdemos valores, esperanças e um futuro melhor quando tomamos ciência de mais um descalabro. Aumentando assim o universo dos escamoteadores que se aproveitam da confusão mental e social do caos.

Tem os que querem ajudar, tem os que querem sacanear. O que me faz refletir é a coordenação dos que querem sacanear. São rápidos e sabem como e onde podem ir. Já os benfeitores do social, não trabalham em conjunto. Competem entre si. Isso não é desesperador? Um bom exemplo disso é o “Criança Esperança” da Globo e o “Teletom” do SBT. Porque não unificar? Porque não atacar o problema de uma forma conjunta? A questão da audiência é ínfima neste contexto.

Não há neste país e na minha opinião nunca houve um estado de unidade da nação. Só pretensão. O que há é uma solidificação das posições e um distanciamento ainda maior entre as camadas sociais. O miserável continua a ser miserável e o rico continua a ser mais rico. Até os partidos que eram de esquerda, e até hoje se proclamam, viraram máquinas de controle de direita e fomento de subsídios ao topo da pirâmide social.

O “complexo de vira-lata” continua sendo atemporal. A máxima de Nelson Rodrigues continua viva, alimentando-se dos aproveitadores e rotulando outros. Esses outros que são excluídos de um processo de dignidade que só é oportunamente lembrada em épocas eleitorais. E quem seriam os vira-latas? Os que vêem que a dignidade e o respeito são infelizmente cronicamente inviáveis.

Se o sistema é um vampiro. As artérias continuarão abertas e disponíveis apenas para felizardos. Os anêmicos sociais que precisam de uma transfusão, irão penar. E a ironia? São os próprios anêmicos que dão fomento aos trambiques e as negociatas. Como? Sem ter seus olhos desvendados. Pois o véu da corrupção, do inviável, ainda perdurará por tempos. Pois a filosofia do meu e não a do nosso imperará. Trazendo no seu bojo uma profunda lamentação.

A nação pune os seus filhos mais pobres. Não involuntariamente, sendo assim uma pedagogia do oprimido. Mas sim sabendo do dolo e da continuidade das feridas abertas. Uma mãe gentil, só na letra positivista do hino. Pois na vida real, o que temos é uma aberração. Fome virando plataforma de governo e arma de convencimento.

São facínoras os que fazem da miséria dos outros aliada.

Anúncios

Read Full Post »


A educação como base sólida de uma sociedade. Esta seria uma das premissas de um novo amanhã ou de um conceito de sociedade norteado nas necessidades de transformação, transformação esta que, infelizmente, ainda não sentimos na pele em forma de respeito a direitos e deveres. O que vemos incessantemente é uma busca cada vez mais frenética pelo empobrecimento não só social mais sim, do empobrecimento de uma consciência que já hiberna no atraso educacional.

Tendo as políticas partidárias como pano de fundo, vemos décadas e décadas de uma ineficiência no papel do Estado na sua tarefa de levar e oferecer uma educação de base com qualidade e não mediocridade. As necessidades do país vão além do populismo da “Bolsa Miséria” e nem do discurso demagogo da maioria dos políticos, mas sim de uma construção de uma educação cidadã, que oriente a população e não a coopte só em época eleitoral. Não adianta só aliviar a pobreza com programas populistas, como salienta Pedro Demo. O traço histórico de nosso país é este que aí está, e como combatemos um ranço ou um vício? Com educação.

A distribuição da renda de uma forma superficial não é o caminho. O caminho passa por um conceito democrático de reforço às estruturas sociais. A educação, a família e a dignidade dos cidadãos devem ser imperativamente analisadas, observadas e amparadas não com programas políticos eleitoreiros. Qual é a chance de uma pessoa contemplada com o “Bolsa Família” tem? Seria um crediário social? Daquele que se a candidata as situação ganhar eles, os que recebem, pensar em, quiçá mais 8 anos? Ou deveriam pensar em colocar as suas crianças em uma escola, não só para garantir o recebimento do auxílio, mas sim colocá-las em um local de aprendizado, construção e reflexão.

Reflexão esta que traria uma indagação? Ora se é meu direito ter uma educação de qualidade, uma moradia, um emprego com um salário digno, segurança para o meu ir e vir, porque então estou recebendo um auxílio em troca disso? Porque não o inverso? A escola com reflexão e com uma efetiva construção de saberes traria isto. Comer é dignidade, isso todos sabem de cor. Mas é o senso de indagação e de um questionamento? Quem recebe este “cala boca” do Estado, nunca poderá ir de encontro a ele. E é exatamente isto, que “eles” querem e incessantemente almejam. Uma sociedade miserável, sem educação e amordaçada.

Aspecto de primaz importância o que fora levantado por Demo na entrevista. A parcela do orçamento na qual o “Bolsa Família” está inserida é ínfima. Se pensarmos no todo, o que o governo destina aos contemplados do programa é realmente uma miséria se comparado ao que a corrupção nos arranca é hilária a disparidade. Perdoe-nos, hilária não! Ela é digna de pesar e revolta.

O que se pensa, não é em Educação. A política atual é de confinar as crianças e adolescentes nas escolas por um tempo enorme. Alfabetizar uma criança em três anos quando que em somente um se tivermos uma boa escola e um bom professor. A escola precisa parar de ser albergue. Muitas das crianças que a freqüentam, só comem quando vão “estudar”. Isso é desumano, sacana e perverso. Merenda sim, mas com ela todo um processo de transformação da realidade que aí está. Gerações e gerações bem instruídas e orientadas farão a diferença. Temos certeza disso.

Só assim, nosso país iria parar de captar mão de obra estrangeira para os altos cargos das áreas de tecnologia. Pois teríamos qualificação aqui. E só uma escola que seja irmã de uma sociedade consciente e não emudecida.

Só assim o conceito de democracia sairá dos livros e do dicionário de uma vez e será aplicado em toda a sua essência.

Os homens públicos deste país só querem se comprometer de fato com a economia. Com o sistema financeiro. A população que fique em segundo plano, ela que “dê os seus pulos” e se adapte a uma nova realidade que nos visita de tempos em tempos. E com esses abalos sazonais, as estruturas que não deveriam ser sequer abaladas, pagam o preço. Educação em país comprometido, não sofre corte de verbas, mas sim, uma constante revisão do que mais pode ser feito.

“Não pergunte o que seu país poderá fazer por você, mas sim o que você poderá fazer pelo seu país” esta frase atemporal de John Kennedy é linda. Desde que o “você” da frase esteja ciente de tudo o que tem direito, de tudo o que tem dever. Esta frase só tem efeito se o senso ético do cidadão está apurado e acompanhado de um senso de moral afinado com a transformação. Isso falando no macro e não no microcosmos da corrupção, dos desmandos e da falta de interesse em mudar o cenário que aí está.

Read Full Post »


Amigos deste Blog, como vocês andam ??

Depois de analisar a soma astronômica gasta pelo Real Madrid na sua reformulação do elenco para a próxima temporada, algumas coisas me vieram a cabeça e velhas inquietações ainda me perturbam.

Como conseguem e de onde vem este dinheiro ?? Que pode cegar muitos, mas não a mim. O Real por exemplo vendeu o seu centro de treinamento para a prefeitura de Madrid por uma soma astronômica, e depois alugou o mesmo por uma soma ínfima. Grande negócio ?? Quem assinou o contrato ?? Com quais interesses ??

Agora me vem com esta de Kaká e Cristiano Ronaldo, o mundo do futebol atualmente está cheio de dinheiro vindo de fontes duvidosas. Não que isto seja atual, muito pelo contrário, é expediente histórico de vários clubes pelo mundo. Muitos foram apoiados por ditadores e tiveram também ajuda de governos irresponsáveis.

Torcedores do Real Madrid na apresentação de Kaká

Torcedores do Real Madrid na apresentação de Kaká

Hoje no Brasil, o que mais ouço falar são os clubes que viraram vitrine de empresas ou de “mercenários do futebol”, que são aquelas pessoas que expropiam o futebol como se fosse um galeto em uma churrascaria, só tirando o seu pedaço de duas maneiras, uma lentamente e a outra dando cortes profundos.

Acho lamentável que os grandes clubes brasileiros estejam nesta roda viva. Não se pode brincar com tradições, torcidas e a história do clube. A base deveria ser preservada e prestigiada. Não pode ocorrer o que está acontecendo sistematicamente:  leilão de jogadores e a venda precoce de nossas promessas.

Quero também só ver a gastança da Copa do Mundo de 2014. O festival de superfaturamentos e de desvios de verbas. Será um “copaduto” ?? O nosso ministro dos esportes é um arroz de festa já manjado. Ontem estava no Beira-Rio. Fazendo o que ?? Claro, quem paga a estadia e as passagens somos nós, e o pior, os babacas lobotomizados que votaram em Lula.

Uma pergunta fica no ar: Será que vão conseguir roubar mais do que 10bi nas obras da Copa ?? Pois o relatório do PAN (TCU), com aquelas irregularidades todas e aquele roubo de mais de 4bi ainda está dormindo em berço esplêndido.

Em país que o povo é sacana, o povo se lasca diariamente.

Em país que prevaricador é presidente, tudo acontece.

Em país que políticos são representantes deles mesmos, tudo acontece.

E o nosso futebol, o espelho de nossa sociedade poderia escapar ileso ?? Definitivamente não !!!

Tomara que as coisas mudem, mas como a sociedade brasileira é sacana também, acho muito difícil alguma coisa mudar profundamente.

O povo brasileiro é sacana, acomodado e gosta de receber esmolas para ficar com a boca calada. Só somos patriotas em Copa do Mundo ou em Olimpíadas. Tem sacana inchando com seu carguinho comissionado o quadro de funcionários públicos.

Enfim…… ainda vejo uma luz !!!

Read Full Post »